Sobre o Bar do Orlando

Imagem

É um boteco daqueles à moda antiga, dos poucos que sobrevivem em BH como eram 30, 40 anos atrás.

Trata-se de um imóvel erguido lá no fundo do Santa Tereza em 1919, na pracinha que dá muro para a linha do metrô, bem de frente para a (boa) pizzaria Estação Parada do Cardoso. Pé direito alto, prateleiras com água sanitária, papel higiênico, bom bril, fósforo. Estufa em cima do balcão. Nada de garçon. Quer cerveja, vai buscar. Pode tomar nos banquinhos logo em frente, onde quiser.

O Bar do Orlando é sem frescura. Quer beber? Tem Cervejas Skol, Brahma e Antártica  e Antártica Original. Também tem pinga ( da roça; Vale Verde, Salinas). Quer comer? Tem torresmão, lingüiça , pastel frito, de carne e de queijo . E o bar fica cheio o dia inteiro.

Mas curioso mesmo é que o Bar do Orlando, no cartório, chama-se Bar dos Pescadores. Isso porque lá em 1919, quando foi inaugurado, era uma casa de aviamentos e material para pesca.

Os moradores do Centro e do jovem bairro de Santa Tereza passavam lá, compravam o que queriam, cachaça, e iam pescar na margem do então limpo e cheio de peixes Rio Arrudas. E pescavam mesmo. Na volta, alguns ficavam pelo caminho, comidos fritos, acompanhados de cachacinha. Lá no Bar dos Pescadores.

Veio o metrô e tapou com um muro cinza o caminho do bar para o Rio. Veio a cidade a poluiu o Rio. Mas fica o Bar do Orlando, ou Bar dos Pescadores, para nos lembrar que a cervejinha na Praça, la nos fundos do Santa Tereza, já teve a companhia do peixe fresco, pescado na hora, ali embaixo, no Arrudas. Agora, é torresmo e pastel frito, guardado na estufa por horas e horas. Se quiser. Culpa nossa.

Serviço: Bar do Orlando
Endereço: Rua Alvinópolis, 460
Tel.: 3481-2752
Funcionamento: todo dia, das 11h às 23h.

-Por Augusto Franco